Um homem precisa viajar. Por sua conta e pelo seu planejamento, não por meio de histórias,imagens, livros ou TV. Precisa viajar por sí, com seus olhos e pés, com seus recursos para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogãncia que nos faz ver o mundo como imaginamos, e não simplesmente como é ou como pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos e, simplesmente, ir ver! AMYR KLINK

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Nossa primeira viagem foi para Buenos Aires/Arg, Colonia Del Sacramento/Rou, Punta Del Este/Rou.

Minha primeira viagem de moto foi para Buenos Aires/Arg em outubro de 2009, a convite de grandes amigos (LUSALEM e ZELI) que estavam morando na cidade portenha.
Mas para isso precisava de uma moto...... 
Fui a busca de uma moto, depois de diversas opiniões, encontrei uma grande moto (Honda NX4 Falcon, ano 2008, com 6000km).
Comprei a moto no inicio de outubro de 2009, e parti para viagem no dia 14 Out 09, não tínhamos todos os acessórios e macetes necessários, mas mesmo assim, eu e Ana, saímos sem medo direção ao Uruguai.
Viajamos 730 km de muita chuva e frio até Colonia Del Sacramento/Rou. Tínhamos que chegar no mesmo dia, pois nossos amigos já tinham comprado as passagens do Buquebus para fazermos a travessia do Rio de La Plata. 
Tivemos um pequeno/grande problema, pois não sabíamos que no Uruguai já tinha entrado o horário de verão..... estávamos atrasados em uma hora!!!
Chegando no local de embarque o barco já estava de saída e não tinha como embarcar a moto (tramites aduaneiro), opção era ir até um estacionamento próprio para veículos que fica uns dois quarteirões do local de embarque ou deixar a moto no estacionamento dos funcionários do Buquebus.
Foi uma correria danada, deixei a moto, tirei a bagagem e embarcamos, o cansaço era demais, tomei uma dose generosa de RED LABEL para descansar, e assim foi. Nossos amigos estavam nos esperando em Puerto Madero, chegamos as 23:30h
LUSALEM e ZELI foram anfitriões maravilhosos, por isso eu falo: "amigo é amigo, o resto é fdp".
O que posso falar de BUENOS AIRES, é que todos que possam, assim o façam, a cidade é incrível, maravilhosa, limpa, etc...

Alguns lugares para serem visitados: Café Tortoni (http://www.cafetortoni.com.ar/), Cemitério Recoleta, Calle Florida, Restaurante Siga La Vaca (http://www.sigalavaca.com/index.php?sec=locales&lng=es), Bairro La Boca e beco Caminito, Puerto Madero, Casa Rosada... dentre outros lugares maravilhosos.
 
Vou postar algumas fotos para que a imaginação possa voar até a cidade do tango.


Fronteira Jaguarão/RS e Rio Branco/ROU
Aduana

Cemitério







Inicio da chuva




Uma parada para o café
Direção Colonia
Direção Colonia
Perto de Colonia




Vista do Buquebus indo para Buenos Aires
Vista do Buquebus indo para Buenos Aires
Dentro do Buquebus

Buquebus
Dentro do Buquebus
Free Shop dentro do Buquebus
Dentro do Buquebus
Bairro La Boca
La Boca é um bairro da cidade argentina de Buenos Aires, que por sua localização próxima ao porto, foi habitada por muitos estrangeiros que chegavam pelo porto para trabalhar. O bairro possui duas grandes atrações: O estádio do Boca Juniors (La Bombonera), o time com maior quantidade de torcedores da Argentina e conhecido por serem absurdamente fanáticos por futebol, e o Caminito, onde parte do bairro foi restaurada. O Caminito tem uma característica peculiar: as casas são construídas com tábuas de madeira, placas e telhas de metal e pintados com muitas cores.
Isso porque, quando os estrangeiros - principalmente espanhóis e italianos - construíam suas casas, usavas as tintas que sobravam dos navios do porto para pintá-las.
Os imigrantes italianos eram em grande parte genoveses. Eles criaram em La Boca os dois futuros clubes mais populares do país: não só o Boca Juniors, mas também o River Plate foi criado no bairro, posteriormente mudando-se para a área mais nobre de Belgrano. A rivalidade originou-se justamente da proximidade entre os dois clubes, só depois se acentuando em razão de o River passar a representar a elite portenha, enquanto o Boca popularizou-se como o clube dos operários.
A herança genovesa encontra-se nas duas equipes: os torcedores do Boca são conhecidos como "xeneizes", expressão derivada de "zeneize", que quer dizer "genovês" no dialeto da Ligúria; e o branco e vermelho do River são as cores da bandeira de Gênova.

Bairro La Boca
E a gauchada estava lá, kkkkkk
Bairro La Boca
Caminito é uma rua-museu e um logradouro tradicional, de grande valor cultural e turístico, localizado no bairro de La Boca, na Cidade de Buenos Aires, Argentina. O lugar adquiriu significado cultural devido a ter inspirado a música do famoso tango Caminito (1926), composta por Juan de Dios Filiberto.
Ao contrário, a letra do conhecido tango, escrita por Gabino Coria Peñaloza, está inspirada num caminho da localidade de Olta, na província de La Rioja. Por esta razão e em homenagem a Coria Peñaloza, em 1971 uma rua da localidade de Chilecito recebeu também o nome de "Caminito".
Encontra-se no pitoresco bairro de La Boca, com um de seus extremos frente ao Río Matanza, na Vuelta de Rocha, e a uns 400 metros do estádio La Bombonera, pertencente ao Club Atlético Boca Juniors.
O caminho se estende de leste a oeste, formando uma curva de aproximadamente 150 metros, atravessando em forma diagonal uma maçã limitada pelas ruas Araoz de Lamadrid (ao norte), Garibaldi (ao oeste), Magallanes (ao sul) e Del Valle Iberlucea (ao leste). Sua forma segue o curso de uma antiga via de bonde, posteriormente abandonada. Em 1959 foi convertido oficialmente numa "rua museu", com o nome de "Caminito".
Seu trajeto sinuoso se deve porque fluía ali um canal o qual desaguava no Riachuelo,e que devia cruzar-se com uma pequena ponte, devido a qual este trecho do bairro era chamado de Puntin, que quer dizer precisamente "ponte pequena" em dialeto genovês ou xeneize. Logo circulou ali um bonde portuário, até 1920. Uma vez cessado, a via se converteu num caminho natural, conhecida no bairro como La Curva. que foi deteriorando-se como depósito de lixo.
Em 1950, um grupo de vizinhos, entre os quais se encontrava o conhecido pintor boquense Benito Quinquela Martín, decidiram recuperar o lugar. Em 1959, na iniciativa de Quinquela Martín, o governo municipal construiu ali uma rua museu, com o nome que lhe havia posto o tango, Caminito.

Caminito - 1939
Bairro La Boca
Noooossa Tangueiros

Grandes amigos Zeli e Lusalem
La Boca
Este restaurante é o máximo
Puerto Madero
Bebendo uma Sambuca na casa dos amigos Lusalem e Zeli





Na Casa Rosada
A Casa Rosada é a sede da presidência da República Argentina, em Buenos Aires, assim chamada pela cor aproximadamente rosa. Abriga também o Museu da Casa do Governo, com material relacionado aos presidentes do país. Localizada em Buenos Aires, em frente à Praça de Maio (Plaza de Mayo) liga a sede do Governo a outro importante marco histórico: a Praça do Congresso Nacional (Palácio do Congresso). Dessa localização na Praça de Maio é possível se observar o Obelisco da avenida Nove de Julho e a Catedral Metropolitana.
A Casa Rosada possui fama internacional por ter sido palco para importantes manifestações políticas e também artísticas. Por exemplo, várias cenas dos filmes "A História Oficial" e "Evita" foram gravadas na praça e nas sacadas do palácio.
A casa Rosada tem sua cor atribuída ao fato de na época de sua construção as tintas mais baratas serem feitas a base de sangue de vaca, tendo a cor rosada. Há também uma lenda que diz que a cor rosada é uma junção de vermelho e branco, cores-símbolo de dois partidos políticos.









Café Tortoni
A origem do café Tortoni:
Sabe-se que foi inaugurado em 1858, mas existem duas versões a respeito ao porque de seu nome: uma delas diz que um imigrante francês de apelido Touan o havia estabelecido na esquina de Rivadavia e Esmeralda, nomeando-o Tortoni dado que assim se chamava um estabelecimento do Boulevard des Italiens onde se reunia a elite da cultura parisiense do século XIX. É chamativo que o escritor francês Stendhal (Henri M.Beyle) em sua novela O vermelho e o Negro, de 1830, menciona a existência de um café Tortoni em Paris. Também Machado de Assis referiu-se ao homônimo café francês no conto "A Parasita Azul", em "Histórias da Meia Noite", compilação de contos publicada em 1873. A outra versão, afirma que foi um tal Oreste Tortoni quem haveria estabelecido o café sobre a Rua Defensa ao 200. Um dos últimos donos do Tortoni, o senhor Fanego, está a favor da primeira versão e afirma que a segunda nasceu de um erro de um articulista de um folheto publicitário de um dos provedores, que inventou ao tal Oreste Tortoni. No entanto, Enrique Puccia, historiador de Buenos Aires, descobriu que efetivamente existiu um guia da cidade donde aparece o Café Tortoni na Defensa ao 200. No obstante, o Grande Mapa Mercantil da Cidade de Buenos Aires, editado em 1870, por Rodolfo Kratzenstein o localiza na Avenida Rivadavia e Esmeralda com Monsieur Touan como proprietário.
O certo é que em 1880 foi trasladado para seu lugar atual, onde anteriormente se encontrava o denominado Templo Escocês de Buenos Aires, mas sua entrada era pela Avenida Rivadavia. A partir de 1898 teve sua entrada principal pela Avenida de Maio, (que havia sido inaugurada em 1894), e a fachada foi realizada pelo arquiteto Alejandro Christophersen. A finais do século XIX o café é comprado por outro francês, Celestino Curutchet, que habitava nos altos do café.

Interior do Café Tortoni
Sepultura Eva "Evita" Peron
Cemitério da Recoleta


Bairro da Recoleta - e nada de cerveja?????

A Recoleta é um bairro nobre de Buenos Aires. Abriga muitas atrações turísticas e seus imóveis estão entre os mais valorizados da cidade.
Na Recoleta está localizado o cemitério em que estão sepultadas diversas personalidades argentinas, com destaque para Evita Perón.
O bairro é atendido parcialmente pela linha D do metrô de Buenos Aires. Está em construção (jan 2012) a linha H, que terá estação ao lado do Cemitério da Recoleta e do Shopping Buenos Aires Design.

Localização geográfica
O bairro da Recoleta é composto das ruas Calle 10, Montevideo, Uruguay, Av. Córdoba, Mario Bravo, Coronel Díaz, Av. Las Heras, Tagle, Vias de FGBM e Jerónimo Salguero, e o Rio da Plata. Faz divisa com os bairros do Retiro para o sudeste, San Nicolás, Balvanera, Almagro ao sul, Palermo ao noroeste e Rio da Prata ao nordeste.

História
eu nome vem do Convento dos Padres Recoletos, os membros da ordem franciscana que se instalaram na área no início do século XVIII, quando foi fundado um convento e uma igreja dedicada a Nossa Senhora do Pilar e cemitério anexado a ele. O centro histórico do bairro era a igreja paroquial do Pilar, cuja construção foi concluída em 1732, por essa razão, algumas vezes o distrito foi chamado de El Pilar.
O passeio da Recoleta é quase o centro geográfico do bairro, e um dos seus pontos mais altos, de modo que no final do século XIX, década de 1870, o sítio atraiu famílias ricas do sul da cidade, fugindo da epidemia de cólera e febre amarela, pois a altura do terreno reduzia a presença de insetos portadores da doença. Enquanto as classes populares foram liquidadas no sul-sudeste da cidade, os mais ricos construiam mansões na Recoleta.
Estas famílias construíram no bairro mansões e grandes edifícios em estilo francês. Muitas destas mansões foram demolidas no final dos anos 1950 e início de 1960. Assim, tem-se alusão a Buenos Aires como a Paris da América. Hoje, alguns desses edifícios tradicionais coexistem com modernos edifícios elegantes. Desde então, a Recoleta é um dos mais elegantes e caros bairros de Buenos Aires, concentrando mansões, embaixadas e hotéis de luxo, incluindo o luxuoso Alvear Palace Hotel.
Junto com alguns trechos dos bairros adjacentes do Retiro e Palermo, Recoleta é parte da área conhecida como Barrio Norte, local de habitação tradicional dos setores mais abastados da sociedade que concentra grande parte da vida cultural da cidade.


Nossa, achei, agora sim Sup.....
Cemitério da Recoleta
Cemitério da Recoleta
O cemitério da Recoleta (em castelhano Cementerio de la Recoleta) é uma famosa necrópole localizada no bairro homônimo na cidade de Buenos Aires. Os jardins que rodeiam o cemitério constituem uma área de lazer muito popular entre os portenhos, ademais, o bairro da Recoleta é um dos mais nobres da capital argentina.

Flor Cibernética
Uma belíssima festa com amigos argentinos e brasileiros


Buquebus
Colonia del Sacramento/Rou
Colonia del Sacramento/Rou
Colonia del Sacramento/Rou
Colonia del Sacramento/Rou
Colonia del Sacramento/Rou
Colonia del Sacramento/Rou
Farol Colonia del Sacramento/Rou
Farol Colonia del Sacramento/Rou
Colonia del Sacramento
Colonia del Sacramento
Colônia do Sacramento (em castelhano Colonia del Sacramento) é uma cidade do Uruguai, capital do departamento de Colônia. Tem origem na antiga cidade de Colônia do Santíssimo Sacramento fundada há 332 anos por Manuel Lobo, a mando do Império Português no século XVII. A área onde localiza-se a fundação portuguesa hoje faz parte do Centro Histórico, reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

Montevideo/Rou
 

Hotel Salto Grande em Punta Del Este
Hotel Salto Grande em Punta Del Este
Cassino Conrad em Punta
Monumento al Ahogado - Monumento Los Dedos - La Mano


Forte Santa Tereza
Farol de San Ignacio

3 comentários:

  1. gostei muito de Buenos Aires, vendo aqui seu post, e gostei da sua antiga falcon tbm; oh vontade pegar estrada de novo; kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Qual é o valor da travessia de moto no Buquebus
    Wagner A. Bello

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wagner hj eu não sei o preço, mas tem um site do buquebus com preço e horários e vc pode comprar pelo site.
      Abs!!!
      Neste link nos relatos tem o site do buquebus: http://insetonaviseira.blogspot.com.br/2013/02/24-e-25-dia-retornando-do-ushuaia-0304.html

      Excluir